Esporte Loteria

COB e Caixa fecham parceria para aumentar apostas na loteria

Divulgação/Reprodução

O Comitê e as Confederações Brasileiras Olímpicas estão empenhados em prover as melhores condições de treinamento e preparação para atletas individuais e equipes no ciclo Olímpico Tóquio 2020.
Para realizar a divisão dos recursos da lei Agnelo-Piva para 2019, o COB reavaliou e ajustou os critérios utilizados em 2018, buscando ainda mais alinhamento com o Mapa Estratégico da entidade.
Uma novidade é o item destinado ao Programa GET (Gestão, Ética e Transparência), uma iniciativa da entidade para auxiliar no aprimoramento da gestão das confederações brasileiras de esportes olímpicos, que agora passa a contar pontos válidos para a definição da distribuição.
Dessa forma, o COB utiliza parâmetros, com base agora em 12 critérios, sendo 10 ligados à área esportiva e dois à área de governança. O objetivo é preservar ao máximo as condições de preparação dos atletas rumo aos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, avançando também no compromisso de aprimorar a gestão das Confederações.
A Lei Agnelo-Piva destina até 1,7% do prêmio pago aos apostadores de todas as loterias federais do país ao COB. Os recursos assegurados por meio da Lei Piva têm permitido ao COB investir no Esporte Olímpico, de forma contínua e crescente.
Quando a aplicação de recursos é feita por meio das Confederações, o COB faz um acompanhamento rigoroso, avaliando a qualidade dos investimentos e checando os resultados obtidos pelas entidades. A liberação de recursos para novos projetos está sempre condicionada à prestação – e aprovação – das contas dos projetos anteriormente desenvolvidos. O Globo.

Tópicos relacionados

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário

Agregalinks - O melhor agregador de links para blogs

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 2 outros assinantes