Governo

Um dia após suspender pagamentos ao COB, Caixa volta atrás

Foto: Divulgação/COB

Um dia após suspender os repasses de recursos ao Comitê Olímpico do Brasil (COB) , a Caixa Econômica Federal voltou atrás e retomará os pagamentos ao órgão. O dinheiro é fruto da Lei Agnelo Piva, proveniente das loterias federais e principal fonte de renda do esporte olímpico do país. Segundo nota divulgada pelo banco público na noite desta terça-feira, a decisão se deve a uma nova determinação do Ministério da Cidadania. Confira a nota na íntegra:
A CAIXA informa que recebeu nesta terça-feira (09) ofício do Ministério da Cidadania posicionando-se sobre a liberação do repasse de recursos das loterias. Segundo determinação do órgão, os repasses deverão ser retomados até que o jurídico da pasta se manifeste sobre a aplicação da Lei 13.756/2018.
O imbróglio ocorre desde a última sexta-feira, quando o COB entregou parte da documentação à Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania para renovar um certificado que garante que está de acordo com a Lei Pelé. Certificado este que não baliza a questão dos repasses da Caixa, garantidos por lei, no entender da entidade. A Secretaria, a Caixa e o COB se reuniram nesta terça-feira em Brasília.
Os pagamentos são diários e, com a interrupção, o COB ficou um dia sem receber os valores. O repasse deve ser retomado nesta quarta-feira. A estimativa é de arrecadação de R$ 250 milhões em 2019.
Mas, sem a Certidão Negativa de Débitos (CND), a entidade não deve renovar a documentação junto à Secretaria de Esportes e por isso ficará impedida de fechar parcerias com a pasta. O COB é está nscrito na lista de devedores da Fazenda Nacional por causa de uma dívida antiga de cerca de R$ 191 milhões da extinta Confederação Brasileira de Vela e Motor (CBVM), que ficou sob intervenção do COB entre 2006 e 2012.
A Secretaria de Esportes também se manifestou por meio de nota para informar sobre a retomada dos repasses. A Secretaria considerou que o repasse dos recursos segue os artigos 15 e 22 da Lei 13.756 de 2018, (que substitui o artigo 56 da Lei Agnelo Piva, que trata sobre o repasses diretos para seis entidades do setor esportivo, incluindo o COB). E que os artigos 18 e 18A da Lei Pelé não seriam requisitos neste caso.
O cumprimento desses artigos, o 18 e 18A, fazia parte de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pelo COB e o Ministério do Esporte em 2017. O acordo foi cumprido e venceu em 2018.
Este entendimento vai de encontro com o do COB. Para o comitê, além do TAC estar cumprido, o documento não poderia balizar a concessão dos recursos da Lei Agnelo Piva,já que estes estão garantidos por lei.
Leia o comunicado da Secretaria:
O Ministério da Cidadania, por meio da Secretaria Especial do Esporte, enviou ofício à Caixa Econômica Federal, nesta terça-feira (09/04), posicionando-se acerca da liberação dos repasses de recursos oriundos da arrecadação das loterias. No documento, o órgão considera que o repasse dos recursos segue as regras estabelecidas pelos artigos 15 e 22 da Lei 13.756/2018, e que os requisitos constantes dos arts. 18 e 18-A da Lei Pelé (Lei 9.615/1998) não são exigíveis para esse tipo de transferência. O Globo.

Tópicos relacionados
Agregalinks - O melhor agregador de links para blogs

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 2 outros assinantes